ESCOMBROS REESTREIA NO SOBREVENTO

Em um cenário de destruição e ruínas, com diálogos simples e diretos, o grupo põe no palco a humanidade possível em uma atmosfera de vazio e desolação

O paranaense Arrigo Barnabé assina a música do espetáculo, que tem figurinos do estilista mineiro João Pimenta e iluminação do carioca Renato Machado

A peça trata da destruição, da ruína de pessoas, de relacionamentos, de valores, de um país e do mundo. Pessoas que perderam tudo vagam sobre escombros e tentam, apesar de toda a desesperança que paira no ar, compreender como tudo se perdeu sem que se dessem conta. E buscam recompor um mundo que desabou e, portanto, não existe mais.

Entre as ruínas de uma casa, objetos como portas, janelas, cadeiras, mesas, uma penteadeira e muitas xícaras e bules de café falam do desabamento de um país e tudo o que foi demolido com ele ou que o fez desmoronar. Cenas muito simples e cotidianas, diálogos desamarrados, coreografias segmentadas revelam o vazio e a desconexão das figuras que transitam sobre uma ausência de memórias e perspectivas. Os objetos são usados em tamanho natural, ao contrário das miniaturas que abundam no Teatro de Objetos, e somente como os objetos que são, sem sobrepor-lhes metáforas. Uma cenografia de terra seca, escombros e ruínas que se estendem aos atores e aos objetos, cobertos de barro seco e figurinos endurecidos, secos e sujos completam o quadro, sob uma luz em raios e envolto em uma música tensa e em uma canção que amarra todas as cenas do espetáculo.

"A destruição do nosso entorno, a ruína de nossas construções, de nossa casa, de nossos sonhos termina por contaminar as nossas relações com os outros e, por fim, entranha-se em cada um de nós, penetrando-nos os ossos e a alma", diz Sandra Vargas, que dirige o espetáculo ao lado de Luiz André Cherubini.

A pesquisa teve como ponto de partida a exploração da linguagem do Teatro de Objetos e a memória como mote principal. A montagem põe lado a lado cenas de uma dramaturgia intimista e delicada, de diálogos simples e diretos, e cenas sem palavras, coreografadas, revelando a humanidade possível em uma atmosfera de vazio e desolação.

A música do paranaense Arrigo Barnabé e uma canção do carioca Geraldo Roca em parceria com Rodrigo Sater, na voz do cantor sul-mato-grossense Márcio de Camillo, embalam esta montagem paulistana, que conta, ainda, com figurinos do estilista mineiro João Pimenta e iluminação do carioca Renato Machado, fazendo de Escombros um espetáculo que representa muitos cantos do país em que vivemos.

ESCOMBROS. De 21 de abril a 27 de maio. Sábados e domingos, às 20h. Entrada franca. Não recomendado para menores de 16 anos. Espaço Sobrevento - Rua Coronel Albino Bairão, 42 - próx. Metrô Bresser-Mooca e Viaduto Bresser. Tel. 11-3399-3589. 70 lugares. Reservas: info@Sobrevento.com.br. Realizado pela 31a. edição do PROGRAMA MUNICIPAL DE FOMENTO AO TEATRO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO.



TERRA, PARA BEBÊS, REESTREIA NO SOBREVENTO

No dia 21 de abril o SOBREVENTO volta a cartaz com o seu mais recente espetáculo para bebês - Terra - no Espaço Sobrevento (Rua Coronel Albino Bairão, 42 - Metrô Bresser, São Paulo, SP). A temporada é gratuita e realizada pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Uma mulher pisa na terra. Fazia tempo que não sentia a terra nos seus pés. Ao senti-la, lembra do carinho que brota da terra. Dela, desenterra os seus segredos, as coisas pequenas de que é feito o amor que cultivamos na terra. Inspirada na ideia de que as crianças costumam enterrar coisas que lhes são significativas, Sandra Vargas cria um texto que fala de memória, dos laços afetivos e do amor que está dentro de todos nós e que é a base de todo ser humano. Sandra Vargas, também atriz, apresenta-se na companhia de dois músicos, que tocam, ao vivo, violão (William Guedes, que responde pela direção musical e trilha composta especialmente para o espetáculo) e violoncelo (Denise Ferrari).

O grupo parte do simples princípio de que a capacidade poética e de comunicação é inata em todo ser humano, que tem, em qualquer idade, um direito inalienável à Cultura e ao convívio social. Acredita que um bebê não é uma tabula rasa e que a comunicação com ele é possível, importante e necessária, desde o primeiro dia de vida, que começa antes do nascimento. Sabe que os bebês entendem tudo o que é importante, mesmo antes de aprender as regras gramaticais, de boas maneiras, de convívio social, dentre muitas outras. Não associa entendimento a raciocínio lógico. Questiona o Teatro que o Teatro se tornou e lembra que temos mais a aprender com os bebês que a ensinar-lhes. Lembra que Teatro é comunhão, jogo, encontro, um espaço sagrado de festa e de descobrimentos. Impele-nos a olhar velhas coisas como pela primeira vez e a redescobrir a capacidade de nos maravilhar que já tivemos e que ainda podemos recuperar.

Em outubro deste ano, o Sobrevento apresentará dois dos seus espetáculos para Bebês – Bailarina e Meu Jardim – na Eslováquia, na cidade de Bábkarská Bystrica, integrando a programação de um dos mais destacados Festival de Teatro de Animação Contemporâneo europeus. No mesmo mês, apresenta-se na cidade de Santiago de Compostela, na Galícia, no Norte da Espanha.

Espetáculo TERRA, para bebês. De 21 de abril a 27 de maio, sábados e domingos, às 14h. Espaço Sobrevento - Rua Coronel Albino Bairão, 42 - próximo ao metrô Bresser-Mooca. Recomendação: seis meses a 3 anos. Entrada franca. Lotação: 80 lugares. Os espetáculos destinam-se a um bebê com um acompanhante. Para proteger os bebês e garantir a qualidade dos espetáculos, haverá reservas pelo telefone (11) 3399-3589 e pelo e-mail info@sobrevento.com.br. Os ingressos devem ser retirados a partir de meia hora antes de cada sessão. As reservas caem 10 minutos antes de cada sessão. Será disponibilizado um máximo de 40 lugares para bebês e 40 lugares para acompanhantes, por sessão. Um acompanhante extra ou outro espectador poderá ser admitido, caso haja disponibilidade de lugares, por ordem de chegada e a critério da produção. O Espaço Sobrevento está especialmente preparado para receber bebês e seus pais: dispõe de assentos especiais para bebês, trocador, assentos sanitários infantis nos banheiros e brinquedoteca.



TEATRO PARA BEBÊS EM SANTOS

O espetáculo MEU JARDIM será apresentado nos dias 16 e 17 de junho, sábado e domingo, às 11h, na Sala de Espetáculos Iracema Paula Ribeiro - TESCOM (Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 195 - Macuco - Santos/SP - Tel. 13-3233-6060). Além das apresentações, o grupo coordena oficina destinada a artistas, pesquisadores e educadores no dia 16 de junho (sábado), das 9h às 16h, no local. Toda a programação tem ENTRADA FRANCA.

Os interessados em participar da oficina devem enviar carta de interesse para info@sobrevento.com.br. Para proteger os bebês e garantir a qualidade do espetáculo, os ingressos podem ser reservados pelo e-mail info@sobrevento.com.br. Os ingressos devem ser retirados a partir de uma hora antes de cada sessão. As reservas caem 15 minutos antes de cada sessão. O espetáculo destina-se a um bebê com um acompanhante. Será disponibilizado um máximo de 60 lugares para bebês e 60 lugares para acompanhantes, por sessão. Um acompanhante extra ou outro espectador poderá ser admitido, caso haja disponibilidade de lugares, por ordem de chegada e a critério da produção. Os teatros serão especialmente preparados para receber bebês e seus pais, com assentos especiais para bebês, trocadores e brinquedoteca.

Voltado para o público de até três anos, o espetáculo mostra um teatro surpreendente, provocador e poético. O SOBREVENTO, que é um dos mais importantes grupos teatrais brasileiros, com uma carreira de mais de trinta anos, acredita na capacidade poética inata do ser humano e na importância de assegurar-lhe o direito, em qualquer idade, à Cultura e ao convívio social. O projeto é realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura – Programa de Ação Cultural.



SESI VIAGEM TEATRAL APRESENTA A CORTINA DA BABÁ

ENCANTADOR E GRANDIOSO, ESPETÁCULO TRAZ A MAGIA DO TEATRO DE SOMBRAS CHINESAS AOS PALCOS DO SESI

A Cortina da Babá, uma encenação sem palavras, revela colorido e transparências dos bonecos nas sombras. Em março, o espetáculo foi apresentado em Piracicaba e Mogi das Cruzes. Em junho, será a vez de Mauá e Santos.

O SESI recebe o espetáculo A Cortina da Babá, baseado no texto da escritora inglesa Virginia Woolf. Serão realizadas duas apresentações em cada cidade. As reservas gratuitas podem ser feitas AQUI.

Uma babá borda animais em uma cortina e acaba caindo no sono. As figuras bordadas ganham vida, brincam e tentam agradar uns aos outros, pois sentem pena por saberem que estão sob o encantamento da feiticeira – que é a própria babá. Ao acordar de seu cochilo, tudo volta ao normal: os animais congelam-se, de volta, no tecido e ela continua a costurar.

Sob orientação do renomado Liang Juhn, diretor da maior e mais importante Cia. de Teatro de Sombras da China, o grupo Sobrevento explora nessa peça a técnica de silhuetas multicoloridas, que ficou conhecida como sombra chinesa, além de técnicas ocidentais modernas e as tradicionais sombras de mão.

Reconhecido como um dos maiores especialistas brasileiros na área de teatro de animação, o grupo já apresentou o espetáculo por todo o Brasil e em festivais internacionais como o Famfest – Festival Internacional de Teatro Familiar, em Santiago do Chile; CASA - Latin American Theatre Festival, em Londres; e fez uma turnê pela China em 2017, em Hangzhou, Kunshan e Shanghai.

O programa SESI Viagem Teatral, realizado pelo setor de Artes Cênicas do SESI-SP, apresenta um panorama da produção cênica brasileira contemporânea, proporcionando variadas experiências estéticas, para o fomento da diversidade cultural e o estímulo à formação de novas plateias. Os espetáculos de teatro, teatro-dança, teatro-circo, teatro de bonecos ou formas animadas e performances, selecionados via edital de chamamento ou convite, circulam nos teatros do SESI São Paulo, gratuitamente, o que contribui para que diversos públicos, adulto, jovem e infantil, tenham acesso a produções de qualidade, com grandes nomes da dramaturgia.