ESCOMBROS ESTREIA EM SP

Sobrevento celebra 30 anos com espetáculo que fala da perseverança em uma terra arrasada

Com a colaboração das companhias da França Théâtre de Cuisine e Théatrenciel, o grupo apresenta seu novo espetáculo Escombros, que trata da vida em meio a ruínas, valendo-se do Teatro de Objetos

Referência na pesquisa de linguagem do Teatro de Animação – dentro e fora do Brasil –, criador de festivais e pioneiro em diferentes técnicas teatrais no país, o Grupo Sobrevento estreia, em 11 de agosto de 2017, o espetáculo adulto Escombros, no Espaço Sobrevento (R. Coronel Albino Bairão, 42, Belenzinho), às 20h. A montagem celebra os 30 anos de trabalho do grupo e integra o projeto Memórias e Trajetórias – Sobrevento 30 anos, subvencionado pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Criado a partir do Teatro de Objetos - linguagem que o grupo pesquisa profundamente desde 2010 -, com a colaboração das cias. francesas Théâtre de Cuisine e Théatrenciel, o espetáculo Escombros trata da aniquilação dos relacionamentos e dos seres em um mundo que está desabando. Na encenação, pessoas que perderam tudo andam sobre escombros e tentam, apesar de toda a desesperança que paira no ar, compreender como tudo se perdeu sem que se dessem conta e, mesmo incapazes de recompor um mundo que não existe mais, insistem em manter-se de pé. “A destruição do nosso entorno, a ruína de nossas construções, de nossa casa, de nossos sonhos termina por contaminar as nossas relações com os outros e, por fim, entranha-se em cada um de nós, penetrando-nos os ossos e a alma”, diz Sandra Vargas, que dirige o espetáculo ao lado de Luiz André Cherubini.

A pesquisa do novo espetáculo teve como ponto de partida a exploração da linguagem do Teatro de Objetos – onde objetos cotidianos deflagaram as diferentes ações e situações – e a MEMÓRIA como mote principal. A montagem põe lado a lado cenas de uma dramaturgia intimista e delicada, de diálogos simples e diretos, e cenas sem palavras, coreografadas, revelando a humanidade possível em uma atmosfera de vazio e desolação.

A música do paranaense Arrigo Barnabé e uma canção do carioca Geraldo Roca, na voz do cantor sul-mato-grossense Márcio de Camillo, embalam esta montagem paulistana, que conta, ainda, com figurinos do estilista mineiro João Pimenta e iluminação do carioca Renato Machado, fazendo de Escombros um espetáculo que representa muitos cantos do país em que vivemos.

ESCOMBROS estreia no dia 11 de agosto de 2017, às 20h, no Espaço Sobrevento, que fica na Rua Coronel Albino Bairão, 42, Metrô Bresser-Mooca, Tel. (11) 3399-3589. E fica em cartaz até 17 de setembro, às sextas, sábados, domingos e segundas, às 20h, com entrada franca. A bilheteria abre uma hora antes e os ingressos podem ser reservados pelo info@sobrevento.com.br



A CORTINA DA BABÁ NO CIRCUITO CULTURAL PAULISTA

O espetáculo participa do Circuito Cultural Paulista. Confira a programação:

1 de setembro, sexta, às 16h: CEU (Centro de Artes e Esportes Unificadas) - Rua São José, 303 - Barretos (SP)

2 de setembro, sábado, às 19h: Centro Cultural Ana Maria Berardo - Rua Tiradentes, 1.124 - Monte Aprazível (SP)

3 de setembro, domingo, às 19h: Complexo Turístico Cultural e Histórico Deputado Roberto Rolemberg - Av. Paulo Nunes da Silva, s/nº - Santa Fé do Sul (SP)

Uma babá repressora borda animais em uma cortina e termina por cochilar. As figuras ganham vida, brincam e tentam agradar uns aos outros, pois sentem pena por se saberem encantados por uma feiticeira, que é a própria babá. Quando acorda, tudo volta ao normal: os animais congelam-se, de volta, no tecido e ela continua a costurar.

A encenação, sem palavras, deste texto tão singelo da inglesa Virginia Woolf deu origem a um raro espetáculo de sombras, que explora a técnica chinesa das silhuetas multicoloridas (sob a orientação de Liang Juhn, diretor da maior e mais importante cia. de Teatro de Sombras da China), técnicas ocidentais modernas e as tradicionais sombras de mão. Buscando uma comunicação intensa e contemporânea com a criança, não por meio do puro entendimento lógico, mas sim da sensação, da sensibilidade, da emoção e do envolvimento, o Sobrevento chegou a um espetáculo contemplativo, mágico, delicado, de extrema precisão e cuidado artesanal.

A Cortina da Babá participou do Festival Mirada, do SESC, e encerrou o Festival Casa, em Londres, um dos maiores Festivais britânicos de Teatro. Em julho, foi apresentado no Chile e em outubro vai à China, para uma turnê de 40 dias.